Home > Transparência > Funai alertou em 2021 sobre ameaça de morte a servidores e que está no “limite mínimo” de operação

Funai alertou em 2021 sobre ameaça de morte a servidores e que está no “limite mínimo” de operação

///
Comentários desabilitados

Uma nota técnica da Fundação Nacional do Índio (Funai) de outubro de 2021 apontou diversos impactos na atuação do órgão por falta de pessoal. A fundação alerta que, com a Covid-19, “aumentou sobremaneira o trabalho do órgão indigenista, sem que contudo houvesse um incremento na força de trabalho para as ações de campo”.

O documento reforça que as atividades desempenhadas pelos servidores da FUNAI são de alto risco e lembra de episódios de assassinatos nos últimos anos: “observa-se que muitas atividades desempenhadas pela FUNAI se dão em áreas remotas, isoladas, em cidades com infraestrutura deficitária, como nas fronteiras, além de possuírem alto grau de periculosidade no tocante à exposição dos profissionais a uma rede de interesses em exploração ilegal do território indígena, acabando por sofrerem ameaças de morte, estendidas às famílias, e até mesmo, assassinatos consumados”.

Acesse aqui a íntegra do documento

Servidores no Vale do Javari alertam sobre saída das forças de segurança, em nota ao presidente da Funai

Dois outros documentos a que tivemos acesso, mais recentes, tratam especificamente do Vale do Javari, onde foram assassinados o jornalista Dom Phillips e o indigenista Bruno Pereira. O mais recente é do último sábado, 18, com um pedido de providência feito pelos servidores ao presidente da Funai para garantir a segurança desses funcionários na região.

Os servidores disseram que existe a previsão de retirada dos agentes de segurança que agora estão no local, com o encerramento do processo investigativo do caso, “processo que já se iniciou no final desta semana”. Eles afirmam que as unidades da Fundação na região são “marcadas por um déficit expressivo de estrutura e recursos humanos”, que os servidores moram em cidades “relativamente pequenas da região, o que faz com que haja uma relação de vizinhança imediata entre servidores e invasores”.

Acesse aqui a íntegra da nota.

Também chamou a atenção um despacho de uma coordenadora regional substituta da Coordenação Regional do Vale do Javari, de 13 de maio (portanto anterior aos assassinatos), em que se solicita contratação de serviços continuados de vigilância patrimonial ostensiva, com o objetivo de “inibir as ameaças sofridas pelos servidores durante o exercício de suas funções durante horário de expediente” na sede de uma unidade do órgão, na cidade de Eirunepé.

Número de operações da Força Nacional tem queda

Nossa equipe obteve, por meio da LAI, planilha com todas as operações da Força Nacional de Segurança Pública desde 2004, com os custos por ano e número de operações. Reportagem no Estadão mostrou que só seis agentes atuavam no Vale do Javari. Veja os principais números, que apontam para uma queda nos gastos com operações:

Acesse aqui a íntegra dos documentos.

Se usar as informações, dê o crédito!

ATENÇÃO: Todo o material publicado gratuitamente no nosso site ou nesta newsletter Don’t LAI to me pode, e deve, ser compartilhado! Usamos a licença “Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)”, que permite a republicação/adaptação, inclusive para fins comerciais, nas seguintes condições:

-Todas as republicações ou reportagens feitas a partir de dados/documentos liberados pela nossa equipe devem trazer o nome da Fiquem Sabendo, com crédito para: “Fiquem Sabendo, agência de dados especializada no acesso a informações públicas”;

-Incluir link para a publicação original da agência (no site ou na newsletter);

-As postagens nas redes sociais sobre as reportagens com dados obtidos pela nossa equipe devem conter menção aos perfis da agência: Twitter, Instagram, Facebook ou Linkedin.

______________________________________________________

Este conteúdo saiu primeiro na edição #80 da newsletter da Fiquem Sabendo, a Don’t LAI to me. A newsletter é gratuita e enviada quinzenalmente, às segundas-feiras. Clique aqui e inscreva-se para receber nossas descobertas em primeira mão também.