Home > Saúde > SP tem 61.913 cargos de profissionais da saúde vagos

SP tem 61.913 cargos de profissionais da saúde vagos

O estado de São Paulo opera hoje com 61.913 cargos vagos na área da saúde pública, conforme revela o quadro de pessoal publicado no Diário Oficial do Estado. As vagas não preenchidas correspondem principalmente a técnicos de enfermagem (16.824), auxiliares de saúde (11.248) e médicos (9.937), além de 4.208 oficiais de saúde, 3.209 agentes técnicos de assistência à saúde, 2.351 enfermeiros, 1.708 oficiais administrativos, 1.510 agentes de saúde e 1.464 motoristas de ambulância. Os números referem-se ao cenário observado em 31 de dezembro de 2019, quando foi realizado o último balanço.

No total, são 108.166 vagas previstas para profissionais de saúde na rede estadual, mas apenas 46.253 estão preenchidas. A taxa de desocupação aumentou 1,8% em relação ao quadro registrado em 2019, apesar do número de vagas previstas ter sido reduzido em 1,5%. Na época, eram 60.784 cargos vagos de 109.808 vagas no total, em uma taxa de desocupação de 55,4%, que subiu para 57,2%. 

FunçãoCargos PreenchidosCargos Vagos
Agente de saúde3271510
Agente técnico de assistência à saúde29823209
Auxiliar de saúde178211248
Enfermeiro35172351
Médico I30069937
Médico II31470
Médico III15250
Motorista de ambulância01464
Oficial administrativo47901708
Oficial de saúde17334208
Técnico de enfermagem279416824

Em 13 de abril deste ano, o governador João Dória (PSDB), anunciou a contratação de 1.185 profissionais de saúde em caráter emergencial para reforçar a assistência nos casos de COVID-19. A determinação previu a convocação de 260 profissionais remanescentes de concursos públicos, incluindo 210 enfermeiros e 50 fisioterapeutas, além da abertura de um processo seletivo para preenchimento das outras 925 vagas, com duração de até 12 meses. Destas, 20 são destinadas a agentes técnicos de saúde para área de Assistência Social, 245 para médicos na área de Clínica Médica, 30 para oficiais de saúde e 630 para técnicos de enfermagem.

Os resultados da avaliação dos títulos foram publicados anteontem (28) no portal da Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista, a Vunesp. 

Hospital das Clínicas

Ainda segundo o quadro de posições desocupadas e preenchidas, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC), que abriga o principal centro de tratamento contra o coronavírus do país, tem 3.077 cargos vagos de 13.038 no total. O que mais falta são técnicos de enfermagem (935) e médicos (580).

Segundo anúncio do governador João Dória realizado na última segunda-feira (27), o Hospital das Clínicas terá mais 100 leitos de terapia intensiva destinados exclusivamente a pacientes com coronavírus, totalizando 300 destes. A ampliação foi possibilitada por meio de R$ 24 mil em doações de empresas físicas e jurídicas, incluindo hospitais particulares, que também disponibilizaram equipamentos e profissionais. Além disso, o hospital tem recrutado voluntários para atuar na assistência de pacientes com suspeita da doença

O estado de São Paulo já tem 28.698 casos confirmados e 2.375 óbitos por COVID-19, segundo a atualização mais recente do painel editado pelo Ministério da Saúde.

No dia 17 deste mês, o secretário estadual da Saúde José Henrique Germann afirmou, em entrevista coletiva, que 1.557 profissionais de saúde da rede estadual estavam afastados com suspeita ou confirmação da doença.

um levantamento da GloboNews , publicado no dia 13, estima que mais de 3 mil profissionais da saúde, apenas na cidade de São Paulo, foram afastados em decorrência do vírus, entre suspeitas e confirmações. Segundo o estudo, o Hospital das Clínicas afastou 535 funcionários.

Precisamos de VOCÊ na batalha por mais transparência pública no Brasil!
Você também poderá gostar
Alckmin Hospital das Clínicas
Hospital das Clínicas reduz em quase 10% número de atendimentos após 2 anos