Home > Gastos Públicos > Furto de fio de cobre cresce 45% em SP; prejuízo anual é de R$ 12 milhões

Furto de fio de cobre cresce 45% em SP; prejuízo anual é de R$ 12 milhões

Furto de fio cresce 31% em São Paulo; prejuízo anual é de R$ 12 milhões

Fios enrolados em poste da rua Clélia, na Lapa, zona oeste de São Paulo; cidade registrou recorde de furto de cabos de cobre em 2015. Foto: Léo Arcoverde/Fiquem Sabendo

A quantidade de fios de cobre furtados em toda a cidade de São Paulo cresceu 45% entre 2014 e 2015. De um ano para outro, houve um salto 764 km para 1.106 km de cabos levados por suspeitos de furto.

É o que aponta levantamento inédito feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados da Secretaria Municipal de Serviços por meio da Lei Federal nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).

De acordo com as informações disponibilizadas pela gestão do prefeito Fernando Haddad (PT), afora o aumento percentual registrado na comparação com o ano anterior, 2015 reverteu uma queda desse crime verificada entre 2013 e 2014. (Veja o detalhamento desses dados no infográfico abaixo.)

Furto de fio de cobre cresce 31% em SP; prejuízo anual é de R$ 12 milhões

Em 1 ano, prejuízo salta de R$ 8 milhões para R$ 12 milhões

Sai dos cofres da Prefeitura de São Paulo (ou seja, do dinheiro arrecadado do contribuinte) a verba usada para a reposição dos fios de cobre furtados pelos criminosos.

Em 2013, ano que Haddad assumiu a prefeitura, esse crime foi responsável por um gasto de R$ 10,13 milhões. No ano seguinte, esse valor caiu para R$ 8,32 milhões. No ano passado, no entanto, saltou para R$ 12,04 milhões, o que equivale a uma alta de 45%. (veja no quadro abaixo.)

Furto de fio cresce 31% em SP; prejuízo anual é de R$ 12 milhões

A cidade está sendo vítima do crime, disse Haddad em 2013

Em 2013, o prefeito Fernando Haddad envolveu-se em uma polêmica ao declarar que os furtos de fios eram responsáveis pelas falhas na iluminação pública na cidade de São Paulo e que a polícia tinha de agir, já que, segundo ele, a prefeitura não dispunha de força policial para combater suspeitos desse crime.

“A cidade não tem força policial para coibir o furto de fios. Eu vou solicitar à polícia uma resposta, a apuração dessas ocorrências, se alguém foi preso, se foram identificados os suspeitos, se há algum inquérito em curso, porque a cidade está sendo vítima do crime”, afirmou Haddad, à época.

Na ocasião, a Polícia Militar contradisse o prefeito, sob a alegação de que não havia registro de furto nos locais onde as falhas de iluminação pública tinham sido identificadas pela prefeitura.

Por que isso é importante?

Constituição Federal de 1988 prevê, no seu art. 144, que a segurança pública é um “dever do Estado” e um “direito e responsabilidade de todos” e que ela é exercida “para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio”.

Código Penal (Decreto-Lei nº 2.848/1940) prevê, no seu art. 155, uma pena de reclusão de dois a quatro anos e multa para quem comete o crime de furto. Se o crime é cometido por duas ou mais pessoas (situação comum aos casos de invasão a residência) ou mediante escalada, a pena cominada é mais alta: reclusão de dois a oito anos e multa.

Causas de aumento devem ser apuradas com Secretaria da Segurança, diz prefeitura

A Secretaria Municipal de Serviços disse por meio de nota enviada por sua assessoria de imprensa que “as causas do aumento dos casos de furto de fio de cobre devem ser apuradas com a Secretaria Estadual da Segurança Pública”. A pasta afirmou, ainda, que implantou um tipo diferente de cabo para coibir o furto de fios.

Leia, abaixo, a íntegra da nota que a secretaria enviou à reportagem:

“As causas do aumento dos casos de furto de fio de cobre na cidade de São Paulo devem ser apuradas com a Secretaria Estadual da Segurança Pública. Para coibir furtos de cabos, a Secretaria Municipal de Serviços, por meio do ILUME, implanta o cabo bimetálico (feito de aço e envolto com uma fina camada de cobre), diferente do cabo tradicional, feito totalmente de cobre. O cabo dificulta o repasse  do material furtado no mercado clandestino porque o fio bimetálico possui uma quantidade de cobre inferior e, para retirá-lo, é preciso fundi-lo para separar aço e cobre. O fio bimetálico tem uma bitola de 35mm e nada flexível. Só é possível cortá-lo com um “tesourão”. Na fusão (aquecimento para separar os materiais), o cobre se mistura ao aço, sendo impossível separá-los. Todo furto de fios e/ou cabos é notificado à polícia.”

Operações conjuntas são realizadas e 157 suspeitos foram indiciados em 2015, afirma Estado

A Secretaria de Estado da Segurança Pública disse em nota nota que realiza, por meio de suas polícias, operações conjuntas com a prefeitura para coibir a ação de furtadores de fios de cobre na cidade de São Paulo.

Leia, abaixo, a nota:

“O combate ao furto e receptação de fios é feito por meio de operações conjuntas das polícias Civil e Militar com a Prefeitura. O Deic mapeou as áreas com maior incidência deste crime e realiza operações periódicas nos ferros-velhos das regiões, para identificar e prender os criminosos. Em 2015 foram elaborados pelo departamento 35 boletins de ocorrência, com 25 inquéritos instaurados e 157 pessoas indiciadas por esse tipo de crime.”

Você também poderá gostar
Marinha coloca informações sob sigilo
Marinha é responsável por 96% das informações classificadas como sigilosas
Don’t LAI to me: a primeira newsletter sobre Lei de Acesso à Informação do Brasil
CARTA ABERTA: Estados e municípios devem aceitar pedidos de informação anônimos
CPP superlotado: 10 mil vagas faltando em São Paulo