Home > Segurança > Assassinato de PMs em SP cai 20% após conduta virar crime hediondo

Assassinato de PMs em SP cai 20% após conduta virar crime hediondo

///
Comentários desabilitados
Assassinato de PMs em SP cai 20% após conduta virar crime hediondo

Entre agosto de 2015 e agosto deste ano, 56 policiais militares foram assassinados no Estado de São Paulo. Foto: Eduardo Saraiva/A2IMG (11/05/2016)

O número de assassinatos de policiais militares no Estado de São Paulo caiu 20% após a entrada em vigor da lei que tornou essa conduta crime hediondo.

Dados da Corregedoria da Polícia Militar publicados no “Diário Oficial do Estado” mostram que 56 policiais militares foram mortos no Estado entre agosto de 2015 e agosto deste ano (13 meses). As informações relativas a setembro ainda não estão disponíveis.

A lei que endureceu a pena para acusados de matar policiais militares e demais agentes de segurança em todo o país começou a valer no dia 7 de julho de 2015.

Ao longo dos 13 meses anteriores à entrada em vigor dessa lei (junho de 2014 a julho de 2015), 70 PMs tinham sido mortos no Estado.

A reportagem não levou em consideração as mortes de julho de 2015 no levantamento por não se saber a data em que ocorreu cada um dos cinco assassinatos de PMs ocorridos naquele mês. Com isso, não é possível precisar quantos deles se deram antes e quantos ocorreram a partir do dia 7, data de entrada em vigor da nova lei.

7 em cada 10 policiais militares morrem durante a folga

Quinze dos 56 assassinatos contabilizados pela Corregedoria da Polícia Militar entre agosto de 2015 e agosto de 2016 ocorreram quando a vítima estava de folga.

O número representa 73% das mortes. Ou seja, sete em cada dez vítimas.

É comum, nesses crimes, o agente ser morto ou no horário em que faz “bico” como segurança ou quando é identificado como policial por ladrões durante assaltos.

Reportagem do Fiquem Sabendo publicada nesta segunda-feira (10) mostrou que a Secretaria de Estado da Segurança Pública gasta por mês, em média, R$ 837 mil para indenizar parentes de PMs mortos em razão da profissão.

Outro lado

Procurada, a Secretaria de Estado da Segurança Pública disse que “desenvolve ações para reduzir a morte de policiais como, por exemplo, a edição da Resolução SSP 40 em março do ano passado, que garante maior eficácia nas investigações de mortes envolvendo agentes de segurança”. “Como resultado dessas ações, houve queda 51,4% nos casos de PMs mortos no período de abril a julho de 2014, na comparação com os mesmos meses dos anos seguintes: foram 37 PMs mortos em 2014, 22 policiais mortos em 2015 e 18 neste ano.”

Você também poderá gostar
Ministro pede revisão de norma que tira responsabilidade do TCU de receber denúncias sobre transparência
Com florestas em chamas, governo Bolsonaro investiu 24% a menos no combate ao fogo em setembro
25 anos de atraso: os pedidos de acesso dos Estados Unidos sem solução
Estratégias e táticas para acessar informações públicas em 5 lições
Apesar do isolamento social, número de mortos por policiais militares em SP é o mais alto em cinco anos