Home > Transparência > Fiquem Sabendo apresenta proposta de melhoria da transparência ao Ministério Público

Fiquem Sabendo apresenta proposta de melhoria da transparência ao Ministério Público

Desde sua edição, em 2011, a Lei de Acesso à Informação (LAI) regulamenta a transparência em toda a administração pública, inclusive no âmbito do Judiciário e Ministério Público.

Buscando uniformizar o cumprimento da LAI em todo o país, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) editou a Resolução nº 89, de 28 agosto de 2012, que detalha a forma como o Ministério Público Federal e os Ministérios Públicos Estaduais devem dar publicidade aos seus atos e organização.

Entretanto, embora tenha sido atualizada algumas vezes, a Resolução 89 possuía espaço para melhoria, em especial no que diz respeito à política de dados abertos e à existência de espaços permanentes para colaboração da sociedade civil em discussões sobre transparência. Assim, a Fiquem Sabendo, em conjunto com outras entidades da sociedade civil participantes do Fórum de Direito de Acesso a Informações Públicas, preparou e apresentou uma proposta de atualização da Resolução.

Dentre diversos pontos, a sugestão:

  •  Estabelece expressamente uma política de dados abertos no âmbito do Ministério Público;
  •  Amplia o rol de informações mínimas a serem disponibilizadas nos Portais de Transparência;
  • Cria um colegiado consultivo composto por cidadãos para auxiliar a autoridade de monitoramento da LAI;
  • Cria um mecanismo de revisão e atualização periódica da política de transparência do Ministério Público. 

Baseada em boas práticas, experiências institucionais de outros órgãos e inclusive atos normativos internacionais, a proposta visa aprimorar a transparência do Ministério Público, fortalecendo essa importante instituição que é um dos alicerces da democracia em nosso país.

Leia aqui o documento da proposta na íntegra.

Você também poderá gostar
12 Estados têm municípios com dívida acima do limite legal
Editor do Washington Post: como acessar dados de empresas privadas com a FOIA
Crimes de ódio: como a ProPublica supriu lacunas nos dados públicos americanos
FS pressiona Conselho Nacional de Justiça a abrir decisões de 1ª instância
Nota conjunta: só venceremos a pandemia com transparência