Home > Transparência > Fiquem Sabendo e Open Knowledge Brasil denunciam ABIN por falta de transparência

Fiquem Sabendo e Open Knowledge Brasil denunciam ABIN por falta de transparência

///
Comentários desabilitados

A Fiquem Sabendo (FS) e a Open Knowledge Brasil (OKBR) denunciaram a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) pela não disponibilização de bases de dados e informações individualizadas relativas a agentes, inativos e pensionistas da ABIN. A denúncia foi feita ao Tribunal de Contas da União (TCU), em 27 de janeiro de 2021.

A manifestação faz parte de uma longa batalha da Fiquem Sabendo pela abertura dos dados de pagamentos realizados pelo governo federal a aposentados e pensionistas. Em 2017, a FS fez uma denúncia inicial ao TCU sobre o tema e, em 2019, o tribunal finalmente determinou a publicação de tais dados. Em 2020, o governo publicou as informações – mas de forma incompleta, fazendo referência apenas a servidores civis. 

Portanto, em janeiro de 2021, a FS realizou novas denúncias requisitando a divulgação das informações também de servidores das Forças Armadas, Banco Central (BC) e ABIN. Em junho deste ano, o governo publicou os dados relativos às aposentadorias e pensões dos servidores militares e do BC. Os dados relativos à ABIN, porém, ainda seguem indisponíveis.

O cofundador e coordenador de Advocacy da Fiquem Sabendo, Bruno Morassutti, reforça que é necessário existir transparência nas despesas públicas, inclusive naquelas despesas com pessoal.

Ele explica: “No caso dos pensionistas, eles sequer têm vinculação direta com a atividade de segurança, que supostamente fundamentaria o sigilo. Não fazendo sentido a não divulgação dos dados. No caso dos aposentados, no máximo seria admissível a restrição temporária de acesso aos nomes, mas não a omissão total de informações”.

Na denúncia, as organizações solicitam que seja determinado ao Ministério da Economia, à Controladoria-Geral da União (CGU) e à ABIN que disponibilizem, no Portal de Dados Abertos, os conjuntos de dados completos de todos os pensionistas, aposentados e agentes públicos da ativa da ABIN; e, no Portal da Transparência, as informações individualizadas de todos os pensionistas, aposentados e agentes públicos da ativa da ABIN.

A Fiquem Sabendo e a Open Knowledge Brasil reforçam que a ocultação das informações impõem restrições ao controle público, principalmente o controle externo e o controle social; além disso, restringe a transparência pública no que diz respeito à parcela relevante da destinação do Orçamento Geral da União.

Sendo assim, as organizações argumentam que a divulgação dos dados irá aumentar a percepção de controle sobre despesas com recursos humanos, além de fortalecer a transparência pública, a política federal de acesso à informação e a Estratégia Digital do TCU quanto à fiscalização de pessoal.