Home > Segurança > Avenida Cruzeiro do Sul e Paulista lideram roubos a pedestres em SP

Avenida Cruzeiro do Sul e Paulista lideram roubos a pedestres em SP

///
Comentários desabilitados
Avenida Cruzeiro do Sul e Paulista são as campeãs de roubos em São Paulo

Trecho da avenida Paulista, na região central; via registrou 308 roubos entre janeiro e setembro deste ano, segundo a polícia. Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas (02/10/2015)

Importante e movimentada via da cidade de São Paulo, onde está localizado o terminal rodoviário do Tietê (o maior do país), a avenida Cruzeiro Sul registrou 324 casos de roubo a pedestre entre janeiro e setembro deste ano (197 na zona norte e 127 na região central).

Esse número fez dela a avenida da capital paulista com mais ocorrências desse tipo de crime registradas no período.

É o que aponta levantamento inédito feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados da Polícia Civil do Estado de São Paulo obtidos por meio da Lei Federal nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à informação). A reportagem elaborou o ranking das dez vias da cidade que registraram mais assaltos a pedestres neste ano.

De acordo com as informações disponibilizadas pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB), a segunda colocação do ranking ficou com a avenida Paulista, cartão-postal da cidade, com 308 roubos contabilizados entre janeiro e setembro. A rua Augusta (travessa da Paulista) é a terceira colocada, com 291 assaltos registrados no período. Em seguida, aparece a rua da Consolação, com 281 casos. (Veja o detalhamento desse levantamento no infográfico abaixo.)

cruzeiro do sul

Combate a crime requer mudança na lei, diz consultor

Na avaliação do especialista em segurança pública e privada Jorge Lordello, parte dos roubos a pedestres ocorridos em vias de grande movimento, como a avenida Paulista, é cometida por suspeitos habituados a praticar esse delito por várias vezes em um curto espaço de tempo.

Para ele, muitos desses suspeitos roubam, na maior parte dos casos, celulares para repassá-los a receptadores e obter droga com o dinheiro.

“O combate a esses suspeitos requer mudanças na legislação, como punições mais rigorosas a adolescentes infratores”, avalia Lordello.

Por que isso é importante?

A Constituição Federal de 1988 prevê, no seu art. 144, que a segurança pública corresponde a um “dever do Estado” e um “direito e responsabilidade de todos” e que ela é exercida “para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio”.

O Código Penal (Decreto-Lei nº 2.848/1940) prevê, no seu art. 157, uma pena de reclusão de quatro a dez anos e multa para quem comete o crime de roubo.

Se o crime é cometido por duas ou mais pessoas ou com emprego de arma de fogo (situação comum a abordagens a motoristas em assaltos), a pena é aumentada em em até um terço.

Polícia desenvolve ações para combater roubos, afirma secretaria

A Secretaria de Estado da Segurança Pública disse por meio de nota enviada por sua assessoria de imprensa que está atenta aos índices de criminalidade nas vias citadas pela reportagem e que desenvolve ações para combater assaltos nesses locais.

Leia a íntegra da nota enviada à reportagem:

“A SSP esclarece que as polícias estão atentas aos índices de criminalidade das regiões citadas e desenvolvem operações para combater a criminalidade. O resultado disso é que o número de furtos na região central caiu 2,3% nos últimos três meses, em comparação com o mesmo período de 2014. Exemplo desse trabalho conjunto foi a realização de uma operação no último dia 15, nas áreas do 1º, 2º e 3º DPs, para coibir furtos, roubos e receptação, quando 17 flagrantes de crime contra o patrimônio foram registrados. Cerca de 8 mil objetos foram apreendidos na ocasião, sendo 173 celulares. A SSP informa ainda que a avenida Paulista, as ruas Augusta e Consolação recebem policiamento preventivo da Força Tática, Radioputrulhamento, Ronda Escolar e ROCAM (Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas). De janeiro a novembro deste ano, a PM prendeu 4.151 pessoas, recuperou 816 veículos e apreendeu 154 armas de fogo e 325 Kg de entorpecentes, na região.”

Você também poderá gostar
Ministro pede revisão de norma que tira responsabilidade do TCU de receber denúncias sobre transparência
Com florestas em chamas, governo Bolsonaro investiu 24% a menos no combate ao fogo em setembro
25 anos de atraso: os pedidos de acesso dos Estados Unidos sem solução
Estratégias e táticas para acessar informações públicas em 5 lições
Repórter da ProPublica fala sobre acesso a e-mails de políticos e servidores
Repórter da ProPublica fala sobre acesso a e-mails de políticos e servidores