Home > Mobilidade Urbana > Número de radares da CET danificados por vândalos cresce 89% em 1 ano

Número de radares da CET danificados por vândalos cresce 89% em 1 ano

Número de radares da CET danificados por vândalos cresce 89% em 1 ano

Radar pichado com spray cinza na rua Guaicurus, na Lapa, zona oeste de São Paulo. Foto: Léo Arcoverde/Fiquem Sabendo

Após quase quadruplicar na comparação entre os anos de 2014 e 2015, o número de radares da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) danificados por vândalos na cidade de São Paulo cresceu 89% entre os períodos de janeiro e maio do ano passado e deste ano. Nesse comparativo, o salto verificado foi de 62 para 117 casos.

É o que aponta levantamento inédito feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados da CET obtidos por meio da Lei Federa nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).

Segundo a CET, na maioria dos casos, os vândalos picham a lente do radar ou quebram a estrutura metálica em volta da lente.

O crescimento dos casos de vandalismo se dá ao mesmo tempo em que a prefeitura amplia o número de radares na cidade. De 2014 para cá, a quantidade de equipamentos de monitoramento da CET instalados nas ruas e avenidas da capital paulista aumentou de 601 para 823, o que equivale a um aumento de 37% no período.

CET diz fazer ‘contato permanente’ com Secretaria da Segurança

A CET disse por meio de nota enviada por sua assessoria de imprensa que “faz contato permanente com a Secretaria da Segurança Pública” sobre os casos de vandalismo contra os radares de monitoramento de infrações de trânsito instalados na cidade.

Leia, abaixo, a íntegra da nota que a empresa enviou à reportagem:

“Informamos que a Companhia faz contato permanente com a Secretaria de Segurança Pública no Estado de São Paulo relatando as ocorrências e solicitando apoio do policiamento nos pontos/locais de fiscalização. Além disso, conforme Termo de Referência, sempre que ocorrer esse tipo de incidente, os consórcios devem registrar Boletins de Ocorrência junto à autoridade policial competente. Ressaltamos que em caso de vandalismo, a CET não arca com ônus dos equipamentos inoperantes. De acordo com o Termo de Referência e contratação dos serviços, cabe aos consórcios a reposição dos equipamentos sem custos adicionais.  Os radares sofrem com pichações nas lentes das câmeras e quebra das bases dos equipamentos estáticos e fixos, respectivamente.”

Policiamento foi reforçado, afirma governo do Estado

Procurada, a Secretaria de Estado da Segurança Pública disse também por meio de nota que a Polícia Militar recebeu em dezembro de 2014 um ofício da Secretaria Municipal de Transportes noticiando casos de vandalismos contra equipamentos de fiscalização eletrônica de velocidade. De acordo com a pasta, “não houve [o encaminhamento de] novos ofícios”. “O policiamento nos locais onde estão instalados esses equipamentos foi intensificado, por meio dos Programas de Força Tática, ROCAM e Radiopatrulhamento.”

Você também poderá gostar
Marinha coloca informações sob sigilo
Marinha é responsável por 96% das informações classificadas como sigilosas
Don’t LAI to me: a primeira newsletter sobre Lei de Acesso à Informação do Brasil
CARTA ABERTA: Estados e municípios devem aceitar pedidos de informação anônimos
CPP superlotado: 10 mil vagas faltando em São Paulo