Home > Mobilidade Urbana > Mortes em acidentes caem 12% nas rodovias federais em SP

Mortes em acidentes caem 12% nas rodovias federais em SP

Mortes em acidentes nas rodovias federais caem 12% em SP

Caminhão com caçamba levantada derruba passarela na rodovia Anchieta. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil (16/11/2015)

O número de mortes decorrentes de acidentes de trânsito nos trechos de rodovias federais que cortam o Estado de São Paulo caiu 12% (de 190 para 168) entre janeiro e julho de 2014 e o mesmo período deste ano.

Isso quer dizer que, até julho, 2015 registrou 22 mortes a menos nessas estradas na comparação com o mesmo período do ano passado.

É o que aponta levantamento feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados da Polícia Rodoviária Federal obtidos por meio da Lei Federal nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação). (Veja o detalhamento dessas informações no infográfico abaixo.)

Mortes em acidentes nas rodovias federais caem 12% em SP

2015 tem registrado queda em mortes por acidentes em várias estatísticas

A queda no número de acidentes fatais registrado pela Polícia Rodoviária Federal segue a tendência já apontada por outras estatísticas sobre mortes no trânsito em São Paulo.

Nas rodovias estaduais paulistas, por exemplo, o número de mortes decorrentes de acidentes de trânsito caiu 26% (de 621 para 461) entre janeiro e setembro de 2014 e o mesmo período deste ano.

Já nas ruas e avenidas da cidade de São Paulo, o primeiro semestre registrou queda de 18% no número de vítimas fatais em acidentes, segundo a gestão Fernando Haddad (PT).

Excesso de velocidade é uma das principais causas das batidas

Segundo a Polícia Militar Rodoviária, são cinco as principais causas dos acidentes nas rodovias que cortam o território paulista:

  1. Excesso de velocidade;
  2. Ultrapassagem em local proibido;
  3. Ingestão de bebida alcoólica pelo condutor do veículo;
  4. Não utilização do cinto de segurança no banco traseiro e
  5. Imprudência.

Por que isso é importante?

A Lei Federal nº 9.503/1997 (Código de Trânsito Brasileiro), no seu art. 1º, § 2º, diz que “o trânsito, em condições seguras, é um direito de todos e dever dos órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito, a estes cabendo, no âmbito das respectivas competências, adotar as medidas destinadas a assegurar esse direito”.

O parágrafo 3º desse mesmo artigo diz que “os órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito respondem, no âmbito das respectivas competências, objetivamente, por danos causados aos cidadãos em virtude de ação, omissão ou erro na execução e manutenção de programas, projetos e serviços que garantam o exercício do direito do trânsito seguro”.

A Polícia Rodoviária Federal faz parte do Sistema Nacional de Trânsito.

Você também poderá gostar
Marinha coloca informações sob sigilo
Marinha é responsável por 96% das informações classificadas como sigilosas
Don’t LAI to me: a primeira newsletter sobre Lei de Acesso à Informação do Brasil
CARTA ABERTA: Estados e municípios devem aceitar pedidos de informação anônimos
CPP superlotado: 10 mil vagas faltando em São Paulo