Home > Mobilidade Urbana > Crescem queixas de passageiros por falhas nas linhas 10 e 11 da CPTM

Crescem queixas de passageiros por falhas nas linhas 10 e 11 da CPTM

///
Comentários desabilitados
Crescem queixas de passageiros por falhas nas linhas 10 e 11 da CPTM

Aumenta o número de reclamações dos usuários das linhas 10 e 11 da CPTM. Foto: Eduardo Saraiva/A2img (26/08/2015)

As reclamações de passageiros da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) em relação à operação das linhas 10-turquesa e 11-coral aumentaram entre 2014 e 2015.

Entre um ano e outro, o número de queixas relacionadas ao cumprimento dos horários e dos intervalos estabelecidos para a operação normal cresceu 17% (de 24 para 28) na linha 10 e 40% (de 15 para 21) na linha 11.

É o que aponta levantamento inédito feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados da CPTM obtidos por meio da Lei Federal nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).

As outras quatro linhas da CPTM (7-rubi, 8-diamante, 9-esmeralda e 12-safira) registraram queda nesse tipo de reclamação entre 2014 e 2015.

Somadas, as queixas sobre os serviços prestados pelas seis linhas no quesito regularidade caíram 25% no período. (Veja o detalhamento desses dados no infográfico abaixo.)

Crescem queixas de passageiros por falhas nas linhas 10 e 11 da CPTM

 

As queixas relacionadas ao funcionamentos das seis linhas de trens metropolitanos registraram, em 2015, o seu menor número desde 2009, quando foram contabilizadas 422 reclamações.

Saiba como enviar uma reclamação para a CPTM

São vários os canais de denúncia disponíveis ao usuário interessado em enviar um relato de um problema à CPTM.

Há uma central de atendimento por telefone que funciona por 24 horas, pelo número 0800.055.0121. A ligação é gratuita.

Se preferir, o passageiro pode encaminhar o seu relato por meio de formulário preenchido no site da CPTM, no seguinte link: https://cptm.sp.gov.br/Pages/atendimento.aspx.

Há ainda as opções do atendimento pessoal, em postos existentes nas estações Brás, Luz e Palmeiras/Barra Funda, além das redes sociais e do SMS-Denúncia (97150.4949).

Por que isso é importante?

A Lei nº 12.587/2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, define, no seu art. 5º, inciso IV, como um dos princípios do transporte público “a eficiência, a eficácia e a efetividade” de quem presta esse serviço.

Essa mesma lei diz, no seu art. 14, inciso I, que é direito do usuário do Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “receber o serviço adequado”.

Segundo essa lei, o Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “é o conjunto organizado e coordenado dos modos de transporte, de serviços e de infraestruturas que garante os deslocamentos de pessoas e cargas no território do Município”.

Ocorrências levaram a aumento das queixas, afirma empresa

A CPTM disse por meio de nota que uma série de ocorrências, como falhas em trens e em equipamentos, ocorridas em março e em novembro de 2015, levaram ao aumento das reclamações recebidas pela empresa.

Abaixo, a empresa detalha essas variações:

“Comparando a evolução mensal de reclamações sobre Regularidade nos últimos dois anos, percebem-se oscilações relevantes nos meses de março e novembro de 2015, na Linha 10-Turquesa, e, em maio e setembro, na Linha 11-Coral, com impacto significativo de manifestações associadas ao atributo Regularidade.  A saber:

– Em 25/03/15, a Linha 10-Turquesa operou com trem a menos no horário de pico da tarde, aumentando o intervalo.

– Em 11/11/15, uma falha em um trem no pico da manhã, resultou no desembarque de passageiros na Estação Santo André.

– Em 12/05/15, ocorreu uma falha em um equipamento de via na Linha 11-Coral, no pico da manhã.

– Em 13/05/15, houve falha de sinalização na Linha 11-Coral, no pico da manhã

– Em 22/09/15, um trem apresentou falha e os usuários foram desembarcados na Estação Corinthians-Itaquera, também no pico da manhã.

Nestes cinco casos descritos, o SAU registrou mais manifestações do que o usual, o que impactou os dados computados pela empresa e encaminhados ao repórter. Portanto, essas ocorrências justificam a variação percentual de reclamações.”

A CPTM explicou também que medidas adota sempre que recebe uma reclamação de um passageiro.

“Os atendentes procuram esclarecer de imediato a demanda do usuário (via celular ou e-mail), explicando por exemplo, se há ocorrências impactando na operação. Quando a origem da reclamação é desconhecida, por parte da Central de Atendimento, os atendentes consultam as áreas responsáveis com o intuito de resolver o problema reclamado ou, se for o caso, buscar os motivos pelos quais a manifestação não poderá ser atendida.”

Você também poderá gostar
Ministro pede revisão de norma que tira responsabilidade do TCU de receber denúncias sobre transparência
Com florestas em chamas, governo Bolsonaro investiu 24% a menos no combate ao fogo em setembro
25 anos de atraso: os pedidos de acesso dos Estados Unidos sem solução
Estratégias e táticas para acessar informações públicas em 5 lições
Repórter da ProPublica fala sobre acesso a e-mails de políticos e servidores
Repórter da ProPublica fala sobre acesso a e-mails de políticos e servidores