Home > Meio Ambiente > Quedas de árvores caem 44% em São Paulo no primeiro trimestre

Quedas de árvores caem 44% em São Paulo no primeiro trimestre

///
Comentários desabilitados
Quedas de árvores caem 78% em São Paulo no primeiro trimestre

Trecho interditado da rua Mário Guastini, em Pinheiros, zona oeste paulistana; bairro foi o que registrou a maior quantidade de ocorrências de queda de árvores em 2015. Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas (23/12/2014)

O número de ocorrências de queda de árvore na cidade de São Paulo caiu 44% entre os primeiros trimestres de 2015 e deste ano. A quantidade de casos dessa natureza recuou de 1.556 (a maior para o período desde 2013) para 875.

É o que aponta levantamento inédito feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados da Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras obtidos por meio da Lei Federal nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).

De acordo com as informações disponibilizadas pela gestão do prefeito Fernando Haddad (PT), o primeiro trimestre de 2016 contabilizou o menor número de árvores caídas no período em toda a capital paulista desde 2013. (Veja o detalhamento desses dados infográfico abaixo.)

Quedas de árvores caem 44% em São Paulo no primeiro trimestre

Com 76 ocorrências, Vila Mariana lidera ranking de ocorrências

A Subprefeitura da Vila Mariana registrou 76 quedas de árvores entre janeiro e março deste ano. Ela é detentora da maior marca de ocorrências dessa natureza dentre as 32 administrações regionais da cidade.

Pinheiros, na zona oeste, com 65 árvores caídas, aparece na segunda posição.

A terceira subprefeitura que registrou a maior quantidade de quedas de árvores entre janeiro e março foi a Santo Amaro, na zona sul, com 53 casos.

Por que isso é importante?

A Constituição Federal de 1988 prevê, em seu artigo 225, que “todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”.

As árvores urbanas desempenham funções importantes para os cidadãos e o meio ambiente, tais como a elevação da permeabilidade do solo (e a diminuição dos riscos de enchentes) e o controle da temperatura e da qualidade do ar. Até mesmo a melhoria da paisagem urbana decorrente das áreas verdes é um fator que aumenta a qualidade de vida da população, segundo especialistas.

Você também poderá gostar
Ministro pede revisão de norma que tira responsabilidade do TCU de receber denúncias sobre transparência
Com florestas em chamas, governo Bolsonaro investiu 24% a menos no combate ao fogo em setembro
25 anos de atraso: os pedidos de acesso dos Estados Unidos sem solução
Estratégias e táticas para acessar informações públicas em 5 lições
Repórter da ProPublica fala sobre acesso a e-mails de políticos e servidores
Repórter da ProPublica fala sobre acesso a e-mails de políticos e servidores