Home > Gastos Públicos > Veja o número de elegíveis a receber o auxílio de R$ 600 por município

Veja o número de elegíveis a receber o auxílio de R$ 600 por município

Dados preliminares foram abertos pelo Ministério da Cidadania após pedido da Fiquem Sabendo; relatório consolidado será disponibilizado no Portal da Transparência em data não informada

Questionado pela agência Fiquem Sabendo por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), o Ministério da Cidadania adiantou dados preliminares com o número de cidadãos elegíveis por município a receber o auxílio emergencial de R$ 600. Os dados informados são do período de 6 a 22 de abril.  

As informações (protocolo 71004001927202027) são divididas também por forma de acesso ao benefício: Programa Bolsa Família, Cadastro Único e outras formas de acesso (site e aplicativo da Caixa). Os beneficiários do Programa Bolsa Família são maioria entre os elegíveis: 19,2 milhões, cerca de 38% do total, que já soma 50,2 milhões de pessoas, conforme os dados preliminares.

[table id=37 /]

Na resposta ao pedido, o Ministério da Cidadania reiterou que “o processo de requerimento do auxílio emergencial ainda está em pleno curso” e que, “assim que o processo de consolidação seja concluído, a relação de beneficiários será veiculada nos canais de comunicação do Ministério da Cidadania e no Portal da Transparência da CGU”. O documento não informa a data prevista para a consolidação.

Acesse os dados por município aqui

Você também poderá gostar
Auxílio emergencial de 1000 dólares? Governo Bolsonaro usa matemática alternativa e ainda erra o cálculo ao tentar explicar a conta
Eleições 2020 nas capitais serão termômetro para disputa presidencial em 2022
Número de denúncias contra ‘pancadões’ aumenta 82,5% durante a pandemia em São Paulo
Ministério da Saúde tem 2 milhões de testes rápidos em estoque sem previsão de distribuição
Enem Digital é seguro? Tire suas dúvidas sobre a primeira edição virtual da maior prova do país
Médicos realizam uma denúncia a cada hora por falta de recursos durante a pandemia ao CFM