Home > Gastos Públicos > CET acumula R$ 124 milhões de prejuízo em 3 anos de gestão Haddad

CET acumula R$ 124 milhões de prejuízo em 3 anos de gestão Haddad

CET acumula prejuízo de R$ 124 milhões em 3 anos de gestão Haddad

Gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) acumula prejuízo de R$ 124 milhões na Companhia de Engenharia de Tráfego. Foto: (13/02/2016)

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) de São Paulo teve um prejuízo de R$ 30,6 milhões em 2015.

Foi o terceiro prejuízo anual consecutivo registrado pela empresa _a CET é uma sociedade de economia mista controlada pela prefeitura.

É o que aponta levantamento inédito feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados da CET obtidos por meio da Lei Federal nº 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação).

Entre 2013 e o ano passado, a Companhia acumulou um prejuízo de R$ 124 milhões. O ano de 2014 foi o que registrou o maior prejuízo no período (veja no infográfico abaixo).

CET acumula R$ 124 milhões de prejuízo em 3 anos de gestão Haddad

Dinheiro arrecadado com multas não entra no balanço da empresa

Segundo a CET, o dinheiro proveniente da arrecadação de multas não compõe o balanço da CET.

Os recursos da empresa são oriundos de contratos com a Secretaria Municipal de Transportes em face da prestação de serviços por parte da Companhia, como engenharia, sinalização e educação de trânsito, por exemplo.

Entre 2009 e 2012, quando a prefeitura era comandada por Gilberto Kassab (PSD), a CET registrou quatro anos seguidos de lucro, que variou entre R$ 9,7 milhões (2009) e R$ 79,9 milhões (2011).

Planejamento é terminar 2016 em equilíbrio, afirma empresa

A CET disse por meio de nota enviada por sua assessoria de imprensa que planeja terminar 2016 “em equilíbrio financeiro”.

Quanto ao prejuízo, a empresa alegou que ele decorre de pagamento de ações judiciais.

Leia, abaixo, a íntegra da nota que o órgão enviou à reportagem:

“A Administração da CET tem como planejamento terminar o exercício de 2016 em equilíbrio orçamentário.

O quadro verificado nos exercícios de 2013 a 2015 são resultantes de provisionamentos de contingenciamentos judicias (reserva orçamentária destinada a pagamentos de ações judiciais) que impactaram diretamente no resultado contábil da CET.

Durante os anos de 2009 a 2012 a CET recebeu recursos da Prefeitura a título de Despesas de Exercícios Anteriores, em virtude da Portaria SF nº 32/05 que reconheceu dívidas da PMSP com a CET, desde 1998 até 2004. O pagamento foi parcelado em 7 anos, resultando em lucro nos exercícios de 2009 a 2012.

Os recursos provenientes da arrecadação de multas não compõem o balanço da CET. Os recursos da CET são oriundos de contratos com a Secretaria Municipal de Transportes – SMT, de prestação de serviços de engenharia, sinalização, planejamento, projetos e educação de trânsito que são suportados pelas dotações Serviços de Engenharia, Operação e Manutenção de Sinalização Viária e Implantação de Vias Cicláveis que fazem parte dos recursos oriundos do Fundo Municipal de Desenvolvimento de Trânsito – FMDT.”

Por que isso é importante?

A Lei Federal nº 12.587/2012, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, define, em seu art. 5º, como um dos princípios do transporte público “a eficiência, a eficácia e a efetividade” de quem presta esse serviço e “a segurança no deslocamento das pessoas”.

Essa mesma lei, que foi sancionada no dia 3 de janeiro de 2012 e entrou em vigor 100 dias depois, ou seja, no dia 13 de abril do mesmo ano, diz, ainda, em seu art. 14, inciso I, que é direito do usuário do Sistema Nacional de Mobilidade Urbana “receber o serviço adequado”.

Você também poderá gostar
Marinha coloca informações sob sigilo
Marinha é responsável por 96% das informações classificadas como sigilosas
Don’t LAI to me: a primeira newsletter sobre Lei de Acesso à Informação do Brasil
CARTA ABERTA: Estados e municípios devem aceitar pedidos de informação anônimos
CPP superlotado: 10 mil vagas faltando em São Paulo